Chamado

A muito tempo atrás Pablo ouviu pela primeira vez o chamado do mar. Naquela época ele era apenas uma criança passando as férias junto dos pais em uma pequena cidade litorânea, dessas que só aparecem nos mapas turísticos locais. Os pais haviam saído para uma festa e o deixaram dormindo no quarto, junto do cãozinho de estimação da família. Desta noite Pablo apenas se lembra do chamado, da irresistível vontade de segui-lo e da voz, misteriosa e profunda como o próprio tempo, dizendo “O primeiro sacrifício foi aceito.”. Ele foi encontrado na manhã seguinte, ensopado e coberto por algas, mas ileso. Do seu cão nunca mais foi encontrado nenhum rastro.

Pablo cresceu e mesmo estas lembranças foram se perdendo na nevoa da memória. Tudo que sobrou foi apenas o medo do mar, do qual ele nunca mais se aproximou durante anos, até que durante a época da universidade sua namorada o convenceu a viajar de volta até a pequena cidade. Foi uma viagem tranquila até uma noite onde o desejo dele superou o medo e ela o convenceu a fazer amor com ela no mar. Quando e êxtase ele novamente ouviu a mesma voz, o compelindo a fazer o segundo sacrifício. Pablo então a segurou bem firme debaixo da água escura, até que ela não se debatesse mais. Ele então voltou a si e percebendo o que fez, fugiu. Mas não sem antes perceber que algo se aproximou por debaixo da água para recolher o sacrifício.

A vida de Pablo nunca mais foi a mesma. Pesadelos terríveis o assombravam a cada noite e durante o dia ele via sombras e vultos o perseguindo a todo o instante. Sem alternativa sua família o internou em um hospício. Mas havia algo de diferente nos enfermeiros que o vieram buscar. Eram homens estranhos, que pareciam não piscar e tinham um cheiro salgado tão familiar à Pablo. Para seu horror eles o levaram de volta a pequena cidade, onde os homens o despiram e o jogaram a mercê do mar sombrio.

Então a voz disse “O ultimo sacrifício é você.”

Anúncios