Mensagem

Se você está lendo essa carta é porque eu estou morto, meu amigo, você está ferrado. Muito ferrado. Total, completa e absolutamente ferrado. Serio, você nunca esteve tão mal na sua vida toda. Vou até dar uma pausa aqui para que você possa contemplar quão ruim é a sua situação.

E ai? Compreendeu agora? Bem, tendo caído a ficha ou não, temos negócios a tratar e o seu tempo não é exatamente longo, para não dizer que é “terminal e desesperadoramente curto”. Você tem até a meia noite para sair daí, e sinceramente espero que você leia isso antes desse horário. Em primeiro lugar sugiro que você pegue tudo que eu deixei ai para você e saia logo dessa sala, mas não corra. Acredite, por mais tentador que seja, correr agora só vai conseguir atrair atenção que você não gostaria de ter.

Nesse momento você com certeza está me chamando por todos os palavrões que conhece, talvez até inventando alguns novos para a tarefa. Embora eu entenda o seu lado devo lembrar que apesar de ter sido minha idéia, não esqueça que você apoiou entusiasmadamente, tanto moral quanto financeiramente. Na verdade, sem o seu apoio eu nunca teria conseguido chegar aqui. Nunca esqueça disso.

Ao sair da sala, siga pelo corredor (sem correr, como eu já expliquei) até chegar no salão principal. Lá responda as perguntas que a estatua te fizer, mas não minta e principalmente nunca olhe nos olhos dela. Se você fizer tudo certo vai poder seguir adiante. Vá para o corredor da esquerda. Sim, mesmo que o corredor da direita esteja bem iluminado, com o barulho de musica e vozes, como se fosse uma festa e o esquerdo só escuridão e um fedor insuportável, vai ser melhor para você arriscar suas chances na esquerda. Vamos dizer que pela direita você chegaria em uma festa em que nem mesmo eu entraria de penetra. Não sem um esquadrão da Swat, pelo menos.

Engraçado que, pensando direito, quem me motivou a começar essa empreitada foi você. Sim, eu lembro bem daquela vez que você chegou lá em casa contando todas as histórias que tinha ouvido sobre esse lugar. Você até comentou como seria um objeto de estudo fascinante, não se recorda. Bem, eu poderia também proferir toda uma serie de palavrões para sua pessoa, mas acho que não adiantaria de nada. No fim talvez fosse o destino que quisesse que passássemos por isso tudo. Ou algo pior.

No corredor da esquerda desligue a lanterna. Eles são atraídos pela luz, e alem do mais você vai viver melhor se não tiver de vê-los. Você deve estar se perguntando o que diabos são eles e eu te respondo: Saber não vai te ajudar em nada. Se concentre em se desviar deles. Vai ser mais ou menos como aquele jogo onde se atravessa um corredor cheio de cordões. Só que aqui os cordões estão mais para arame farpado. E é no escuro. Nem pense em usar a arma. Você só tem 17 balas e vai precisar de cada uma delas mais na frente. Eles são rápidos mas tem os movimentos muito duros, com cuidado e um pouco de sorte você vai passar pelo corredor só com alguns cortes.

Depois você vai chegar no hall. Muita atenção aqui. Desde o momento em que você chegar mantenha os olhos fixos na porta de saída, não importa o que você ouça ou veja. Se você tirar os olhos dela, nunca mais vai encontrar a saída. Apenas ande em linha reta até a saída e você vai chegar do lado de fora. Fora da casa tem o jardim. Aqui sim você pode correr. Lembre de verificar a arma e a munição também. Aqui os cães vão vir te caçar. Sim, aqueles cães. Não sei se te deixei balas o suficiente, então trate de não errar nenhum tiro. Assim que você chegar ao portão, entregue ao guardião aquilo que ele pedir. Assim você vai estar livre.

Mas, se eu te conheço bem, velho amigo, você deve estar se perguntando como é que eu descobri isso tudo. E mais importante, se eu sabia como fugir daqui, por que eu disse que estava morto? Ora, essas são perguntas muito boas, meu amigo, e podem ser respondidas com duas hipóteses: Ou eu fugi, mas não consegui voltar para te ajudar, ou essa mensagem é apenas uma armadilha, para te levar ao mesmo fim horrível que você acabou trazendo a mim. Não que você tenha outra escolha alem de tentar.

Como eu disse antes, você está completamente ferrado.

Anúncios

Lições

– O que é isso que você vê a nossa frente, meu filho?

– Aquilo? Só um bando de camponeses protestando, pai.

– Errado. O que é aquilo?

– Uma turba incitada por baderneiros se levantando contra a paz mantida pelo nosso governo.

– Errado. O que é aquilo?

– Agitadores manipulados por potencias estrangeiras que querem desestabilizar nosso governo soberano para se apoderar de nossas riquezas.

– Errado. O que é aquilo?

– Pessoas famintas e cansadas, carregando só paus e pedras, tentando lutar contra nosso governo opressor.

– Não seja idiota! O que é aquilo?

– Não sei, pai.

– Aquilo, meu filho, é uma multidão armada avançando contra tropas legitimas do governo, cuja função é manter a paz e a ordem de nosso amado pais. A qualquer custo. Entendeu?

– …

– Entendeu, filho?

-…

– Filho!

– O quê? Fala mais alto, pai! Não consigo te ouvir com tantos tiros!