Gritos

Grite.

Não me importo com o barulho. Você acha que eu te deixaria sem uma mordaça se houvesse alguém que pudesse te ouvir? Mas o que eu estou dizendo, não é mesmo? É quase como tentar ensinar um padre a rezar. Afinal essa é sua arte. Era isso que você dizia nas suas cartas. “Eu sou um artista transformando o mundo. Trago beleza e movimento a um mundo monótono e sem cor.”. E então, o que acha do meu trabalho amador, grande artista? Estimulante? Espero que sim, afinal, a imitação é a forma mais sincera de elogio. Parar? Ora, mas que vergonha. Um verdadeiro artista deveria ter mais dedicação a sua arte. Não, não, não. Você não deveria se importar com trivialidades como a dor. Isso nunca te incomodou antes, não é mesmo. Nem quando te imploravam. Ou quando chegavam ao ponto de enlouquecer. Então grite.

Você só vai fazer isso ficar melhor.

Anúncios