Amor em 10 Faixas

Always

Me escuta. Só me escuta um pouco, tá bom? Eu sei que já não somos o que éramos antes. Não pense que não percebo que faz tempo que você evita me olhar nos olhos. E suas mãos, elas acenam com um adeus. Sei que você está pensando que isso é o fim. Mas aqui estou eu, tentando. Sei que não podemos ignorar todas as brigas e todas as magoas, mas cada vez que eu penso em seguir em frente eu percebo o quanto sinto falta da sua risada, do seu sorriso. Eu vejo que, se tem algo pelo qual vale a pena brigar, esse algo somos nós. Mesmo que signifique brigar com você. Então, vamos tentar de novo, pra valer?

Universally Speaking

Ele a viu. Seu rosto era belo e cansado, se destacando entre a multidão cinzenta. Ela sorriu. Um sorriso vermelho-sangue, delicado e selvagem. E naquele momento ele soube o que era aquilo que os poetas passam a vida tentando descrever.

Another Turn

Ele espera pacientemente enquanto se abriga atrás do sofá, se protegendo da chuva de objetos que ela lança através da sala. Quando a munição dela parece ter acabado ele se levanta, se esquivando de um vaso por pura sorte, e avança rapidamente na sua direção. Ela acerta um tapa em seu rosto, tão forte que ele sente o gosto de sangue em sua boca. Ele tenta segurá-la e os dois acabam caindo no chão, um por cima do outro. E então se beijam acaloradamente. Ambos sabem que isso tudo é loucura. Mas mudar é difícil e então este será um jogo sem fim.

Loteria

Ela diz que o nome dela é Cleópatra, como a rainha do Egito. Nome de guerra, claro. Ela nunca me disse seu nome, mas com certeza deve ser algo prosaico demais, porque só mesmo um nome de rainha para fazer jus a sua figura. E que figura. As pernas mais bonitas que deus colocou para andar nesta terra. Um rosto que derrubaria um império, coroado com o sorriso desdenhoso de quem está ciente disso tudo. E como ela ri quando prometo tirar ela daqui. Quando cheio de esperança digo “Te dou o mundo inteiro, mais o carro do ano.”. No fim ela sempre me cala com um beijo e puxa para o seu abraço quente.

Walking After You

Já não consigo dormir na nossa cama. Ela fica tão vazia e fria sem você que é simplesmente insuportável. Tentei me mudar para o sofá, mas cansei de acordar abraçado com o cachorro. Engraçado, não é? Pensei que seria mais fácil. Mas as coisas simplesmente não vão funcionar sem você, na realidade. E tudo que eu posso fazer é rolar nessa cama vazia e esperar que o sono venha. Esperar por um milagre. Esperar que você volte.

One

– Oi.

– Oi.

– Eu só preciso pegar minhas coisas, não vou demorar muito.

– Tudo bem.

– Aceita um café?

– Não, obrigado.

– Sabe… É bom te ver de novo.

– …

– Eu queria conversar.

– Não. É muito tarde para tentar trazer o passado à tona.

– Nunca é tarde demais. A gente ainda se ama.

– Não é suficiente. Não mais.

– Eu te desapontei? Eu te pedi demais, foi isso?

– Não. E me dói muito te ver assim. Mas eu não posso voltar. E eu não posso continuar me agarrando ao que você tem, quando tudo o que você tem é dor. Me desculpe.

Que Pena

Nunca na vida você vai conhecer um sujeito mais devotado para sua mulher do que ele era. Nunca chegava em casa tarde e todo dia fazia questão de levar uma rosa para sua pequena. Diabo, ele era capaz de largar o futebol de domingo por causa dela. Por isso todo mundo achou que o mundo dele ia acabar quando ela foi embora. Grande engano. Não que ele tenha deixado de gostar dela. Qualquer um pode ver pela cara de bunda que ele faz quando ela passa na rua que o sujeito ainda ama aquela mulher. Mas naquele mesmo dia ele apareceu no pagode dançou, cantou e, no final da festa, já meio bêbado e agarrado com duas morenas, disse “A vida continua e eu não vou ficar sozinho no meio da rua esperando que alguém me dê a mão.”. Você tem de respeitar um sujeito desses.

Sirens

Você dorme tranquila sobre meu peito nu, com um semblante tão feliz que parece mentira. Eu seguro sua mão e sinto sua respiração. Só pra checar que você está segura. Chega a ser engraçado. Nunca tive medo de nada a minha vida toda. Eu ria da morte. Até você chegar. Agora eu tenho algo a perder. É tão complicado isso. Tanta coisa pode acontecer… Mas se eu ficar pensando demais isso nunca vai sair da minha cabeça. Você está aqui e somos felizes. E rezo para que mesmo que tudo mude, que isso se mantenha.

Se Tiver de Ser na Bala, Vai

Quando ele descobriu que ela já tinha namorado, pensei que ele fosse desistir. Quer dizer, antes disso ele sempre foi um cara ajuizado. “Cara, você conheceu essa doida outro dia. Conversaram por duas horas e você sai feito um maluco atrás dela. Você nem sabe onde ela mora!” eu dizia, tentando pela primeira vez na vida colocar juízo em alguém. Sabe o que ele respondia? “Nem que eu bata em todas essas portas até encontrar”. E por incrível que pareça ele encontrou. Foi o namorado que abriu a porta, mas ele passou direto e encontrou ela na sala de estar. Ali mesmo ele se declarou pra moça, abrindo o coração e dizendo coisas como que ia amar ela como um raio que se opõe ao curso do céu ou algo do gênero. Sempre foi meio poeta, sabe? O namorado, claro, não gostou nada disso. O cara jogou ele porta a fora e começou a descer o cacete nele, que nem ao menos reagia. Ele somente esperava a resposta dela. Ela disse sim e mandou o agora ex-namorado embora. O cara fez uma cara de paspalho sem tamanho e saiu xingando deus e o mundo. E os dois, ali mesmo na calçada, ele com o rosto mais parecendo um prato à bolonhesa, se olhavam apaixonadamente como se estivessem em parque em pleno piquenique de domingo. “Por que você demorou tanto?”, ela perguntou. ”Você não disse onde morava.”, ele respondeu sorrindo. Coisa de maluco, se você quer saber.

Jungleland

Ele confere o endereço duas vezes antes de sair do carro, não porque tenha alguma dúvida de que esteja no lugar certo, mas porque a ansiedade era demais. Fazia quase um ano que ele não a via, desde que fugira das antigas dividas e a deixara para trás nessa cidade. Desde então ele trabalhou duro e se manteve na linha. Não era aquele tipo de vida que ele queria dar a ela. Ela merecia coisa melhor e para isso ele tinha de se tornar um homem melhor. E nesta noite ele apresentaria esse novo eu para ela e juntos construiriam longe dali os sonhos que tanto planejaram enquanto bebiam cerveja sentados sobre o capô do carro e aproveitando a chuva morna de verão. Ele desce do carro, ajusta suas roupas e bate na porta dela. Ele percebe um movimento dentro da casa, mas passam-se vários minutos até que a porta se abra. Ela o recebe com uma arma apontada para o peito dele e atira. Ninguém vê a ambulância ir embora, ou a garota apagar as luzes de seu quarto. Quanto a ele, os poetas das ruas apenas balançam a cabeça e dizem tristemente que terminou ferido, nem ao menos morto.